sexta-feira, 30 de abril de 2010

La Ronda #23: Reclamos Cerveceros ("Reclamações Cervejeiras")

O Pão e Cerveja foi convidado por Galapagos do blog Logia Cervecera para participar da “La Ronda #23: Reclamos cerveceros.”, traduzindo, “A rodada #23: Reclamações Cervejeiras”.

A “La Ronda” é uma questionamento proposto a diversos blogueiros, a maioria de língua espanhola, sempre sobre um tema cervejeiro. Gracias por la invitación, Galapagos.

A questão da Ronda #23 é a seguinte:

Que actitud tomar cuando uno va a un bar y desembolsa una buena cantidad de dinero para disfrutar una buena cerveza y lo que le sirven no está en buen estado? O bien no es el producto que uno jura y recontra jura que venía tomando y ya no es lo mismo? Reclamamos? Nos quejamos? Hacemos tripas corazón y nos tomamos hasta la última gota jurando nunca más volver pero sin decir palabra alguna? Y en caso de que uno se haya quejado... como fue la reacción del lugar? Nos cambiaron la cerveza por una que si estaba bien? Nos dijeron que es lo que hay y a otra cosa? Nos dieron explicaciones raras de por que la cerveza debería ser así?

Eu geralmente bebo as minhas cervejas em casa. Raramente, saio de casa com o intuito de beber cerveja. Logo, as questões propostas pelo Galapagos nunca aconteceram comigo, mas não descarto a possibilidade de acontecer, ou seja, tomar uma cerveja com problema.

Posso falar com propriedade em relação às cervejas que bebo em casa. Raramente também, alguma não apresenta as características organolépticas (aroma, sabor) apropriadas. Das diversas cervejas que já bebi,  e não foram poucas, de marcas e estilos diferentes, me recordo de três que apresentaram problema.

Entretanto, é dicífil muitas vezes dizer se o problema está com a cerveja ou com o degustador, pois nem sempre estamos pré dispostos a beber cerveja ou os nossos sentidos (visão, olfato e paladar) na degustação não estão funcionando direito... Saber das suas limitações na hora da degustação não é uma tarefa fácil. Quem garante que o degustador não está na eminência de desencadear um resfriado? Neste caso, olfato e paladar ficam seriamente comprometidos.

Voltando  às três cervejas com problema que degustei: 
  • Duas (uma Belgian Dark Strong Ale, uma Porter) apresentavam sabor e aroma acéticos (gosto e aroma de vinagre);
  • Uma apresentou problema na carbonatação (uma Dry Stout), não fazendo muita espuma (se comparado à mesma cerveja bebida em outra ocasião) quando colocada no copo.
Reclamar? Não reclamei... Somente bebi...
E para quem me conhece, sabe que não tenho pudores em relação à reclamação. Mas o que falar aos funcionários do supermercado aonde comprei as cervejas? Mesmo que eu colocasse a cerveja de volta na garrafa ou lata, como mostrar ao funcionário a contaminação acética e a falta de espuma ? E aonde encontrar o ticket ou cupom fiscal para a comprovação da compra no supermercado?

Creio que a degustação realizada num bar, in loco, aonde os atores estão todos em cena (cerveja, consumidor e fornecedor) autenticaria a reclamação. Seria "a prisão em flagrante" da contaminação e da carbonatação. E neste caso, senhores, temos que reclamar sim, pois temos os nossos direitos como consumidores. Até porque, geralmente, estas cervejas não custam pouco. E pagar por uma cerveja cara com problema, ninguém merece!!
.

2 comentários:

Galapagos disse...

Tarde pero seguro, he aquí el resumen de la Ronda #23. Saludos!!!

Jean disse...

Gracias, Galapagos.

Abrazo,

Jean Claudi.